/ governosp
Biblioteca Parque Villa-Lobos

Um novo olhar sobre a Semana de Arte Moderna

16 DE dezembro DE 2021
Crédito: Reprodução

A proposta da oficina A Semana de Arte Moderna por Outros Caminhos, proferida pela professora de literatura brasileira da Unifesp, Mirhiane Mendes de Abreu, nos dias 7, 8, 9 e 10 de novembro, foi refletir sobre a construção dos mitos em torno da Semana de Arte Moderna de 1922. A partir de textos publicados em revistas literárias da época, como a Klaxon e a Madrugada, e também nas correspondências de Mário de Andrade trocadas com outros escritores, como Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade, foi possível traçar como se deu a formação da imagem em torno do movimento.

 

Na primeira aula, Mirhiane falou sobre a programação e os preparativos para a realização da Semana de Arte de Moderna, que, a princípio, seria um evento simples realizado em uma livraria. Com a chegada do patrocínio dos integrantes da elite cafeeira paulista, o movimento cresceu, passou de um para três dias e mudou para o Theatro Municipal de São Paulo. Apesar do envolvimento da alta sociedade nos preparativos os artistas não foram poupados das vaias e das críticas.

 

No segundo dia, os alunos viram como se deu a relação dos modernistas brasileiros com a vanguarda cultural europeia, especialmente no que diz respeito ao Manifesto Futurista escrito pelo poeta italiano Fillippo Tommaso Marinetti. “O Mário de Andrade não queria essa proximidade com o futurismo e foi um dos grandes defensores do nome modernista para o nosso movimento, discordando inclusive de Oswald de Andrade”, explica a professora.

 

O terceiro dia foi reservado para analisar a imagem de Portugal dentro do modernismo, lembrando que o movimento aconteceu no ano do centenário da Independência do Brasil. Entre os achados, pode-se dizer os brasileiros foram extremamente lusofóbicos, trazendo à tona as mazelas da colonização e evitando as associações com país.

 

No último encontro, Mihriane trouxe a visão de Portugal sobre o movimento, analisando os textos da Orpheu, primeira revista do modernismo português. Sobre as comemorações da Semana de Arte Moderna, a serem realizadas no próximo ano, a professora reafirmou a importância da celebração, porém sempre de forma crítica e sem ser subserviente ao movimento.

 

 Portugal-Brasil e os modernismos em revistas

Para o encerramento da sua palestra, Mirhiane convidou a docente de literatura portuguesa da Universidade Federal de Minas Gerais, Raquel Madanêlo Sousa. Na apresentação, a professora mostrou sua pesquisa sobre o modernismo brasileiro nas revistas de literatura de Portugal, como Orpheu, A Águia, Contemporânea e Seara Nova. O resultado revelou que o movimento foi totalmente ignorado pelos escritores portugueses.

Cadastre-se e receba nossa newsletter

Política de Privacidade

Este site é mantido e operado pela Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL).

Nós coletamos e utilizamos alguns dados pessoais que pertencem àqueles que utilizam nosso site. Ao fazê-lo, agimos na qualidade de controlador desses dados e estamos sujeitos às disposições da Lei Federal n. 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais - LGPD).

Cookies
Cookies são pequenos arquivos de texto baixados automaticamente em seu dispositivo quando você acessa e navega por um site. Eles servem, basicamente, para que seja possível identificar dispositivos, atividades e preferências de usuários, otimizando a experiência no site. Os cookies não permitem que qualquer arquivo ou informação sejam extraídos do disco rígido do usuário, não sendo possível, ainda, que, por meio deles, se tenha acesso a informações pessoais que não tenham partido do usuário ou da forma como utiliza os recursos do site.

a. Cookies de terceiros
Alguns de nossos parceiros podem configurar cookies nos dispositivos dos usuários que acessam nosso site.
Estes cookies, em geral, visam possibilitar que nossos parceiros possam oferecer seu conteúdo e seus serviços ao usuário que acessa nosso site de forma personalizada, por meio da obtenção de dados de navegação extraídos a partir de sua interação com o site.
O usuário poderá obter mais informações sobre os cookies de terceiros e sobre a forma como os dados obtidos a partir dele são tratados, além de ter acesso à descrição dos cookies utilizados e de suas características, acessando o seguinte link:
https://developers.google.com/analytics/devguides/collection/analyticsjs/cookie-usage?hl=pt-br
https://policies.google.com/privacy?hl=pt-BR
As entidades encarregadas da coleta dos cookies poderão ceder as informações obtidas a terceiros.

b. Gestão de cookies
O usuário poderá se opor ao registro de cookies pelo site, bastando que desative esta opção no seu próprio navegador. Mais informações sobre como fazer isso em alguns dos principais navegadores utilizados hoje podem ser acessadas a partir dos seguintes links:
Internet Explorer:
https://support.microsoft.com/pt-br/help/17442/windows-internet-explorer-delete-manage-cookies

Safari:
https://support.apple.com/pt-br/guide/safari/sfri11471/mac

Google Chrome:
https://support.google.com/chrome/answer/95647?hl=pt-BR&hlrm=pt

Mozila Firefox:
https://support.mozilla.org/pt-BR/kb/ative-e-desative-os-cookies-que-os-sites-usam

Opera:
https://www.opera.com/help/tutorials/security/privacy/

A desativação dos cookies, no entanto, pode afetar a disponibilidade de algumas ferramentas e funcionalidades do site, comprometendo seu correto e esperado funcionamento. Outra consequência possível é remoção das preferências do usuário que eventualmente tiverem sido salvas, prejudicando sua experiência.