Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
/ governosp

Desafios para adaptar o universo Tolkien ao século XXI

26 DE maio DE 2022
Crédito: Jéssica Liar

Para comemorar o Dia do Orgulho Geek, celebrado no dia 25 de maio, em referência ao lançamento do primeiro filme da saga Star Wars, em 1977, a Biblioteca Parque Villa-Lobos promoveu ontem o “Bate-papo sobre o Universo Tolkien”, mediado pela jornalista Flávia Gasi e que contou com a presença das produtoras de conteúdo digital e também fãs de carteirinha da obra do autor, Mayra Sigwalt e Milena Enevoada. 

A atividade on-line era aberta à interação do público que participou ativamente da conversa iniciada por uma discussão aprofundada sobre “O Hobbit”, livro que conta as aventuras de Bilbo Bolseiro pela Terra Média e como ele conseguiu o “Um Anel”, objeto central do enredo da trilogia de “O Senhor dos Anéis”. A partir dessa troca é que Flávia, Mayra e Milena começaram a debater os fatores que levaram J.R.R. Tolkien a criar toda a Terra Média e o mundo que estrutura suas tramas, destacando a formação do autor e o contexto histórico no qual ele se encontrava como pontos fundamentais nesse processo. 

Tolkien era linguista, e antes de construir o mundo e histórias que marcariam gerações, na verdade criou suas línguas. Os personagens, povos, raças e paisagens que compõem seu universo dão vida a essas mesmas línguas, em um mundo que foi concebido pelo autor em um contexto histórico marcado pelas duas grandes guerras mundiais do século XX e por uma visão de mundo, por parte da Europa, ainda muito imperialista e eurocentrada.

Outro ponto debatido foi o estilo de sua escrita, que valoriza as diferentes culturas daquele universo, ainda produtos das línguas criadas pelo escritor, sua história e as canções que a perpetuam. Em todos os seus livros “as canções sempre indicam algo que aconteceu ou vai acontecer”, apontou Mayra Sigwalt. Ainda sobre o processo criativo que levou o autor a criar um universo tão complexo, as debatedoras ponderaram que o grande legado de Tolkien para autores de fantasia talvez não seja a de reproduzir universos dessa magnitude, mas “escrever sobre o que se ama”, como apontou Flávia Gasi. 

Adaptações e os anacronismos de Tolkien

J.R.R Tolkien, nascido em 1892, assim como todo ser humano é fruto de seu tempo, e carregava consigo a ideologia europeia herdada ainda do imperialismo do século XIX. Em sua obra é possível identificar a influência do pensamento racista, do machismo e orientalismo (a representação de povos e culturas não-europeias e orientais como exóticas, atrasadas ou más). Tal fato resulta em um desafio para reproduções do mundo de Tolkien atualmente. 

O exemplo mais claro sobre a questão é o lançamento da série “Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder”, que ainda não está disponível para o público, mas vem gerando discussões por, em teoria, modificar a obra original de Tolkien no que se refere  à aparência dos personagens. Povos que, na versão original, seriam formados apenas por brancos, na nova produção são retratados também como não-brancos, de maneira muito mais diversa. 

O desafio de contemplar as demandas de público e humanas presentes agora e que, de longe, não existiam na época de Tolkien foi amplamente discutido no evento. Milena Enevoada falou ainda sobre como é conciliar a contradição entre amar o universo de Tolkien e identificar a ideologia imperialista em suas histórias, “a gente está lendo e de repente percebe algo e pensa, bom, estou fingindo que não vi isso aqui. Claro que é doloroso”, pontua. 

Mesmo de forma consciente e crítica, Flávia, Mayra e Milena não deixam de curtir o vasto mundo criado por Tolkien e todas as histórias nele ambientadas. 

Vale lembrar que a BVL tem em seu acervo alguns dos livros escritos pelo autor disponíveis para empréstimo. Ser sócio da biblioteca é fácil, rápido e gratuito

Para acompanhar outros eventos on-line como esse ou ficar por dentro de nossa programação presencial acompanhe a biblioteca nas redes sociais: Instagram e Facebook


Cadastre-se e receba nossa newsletter

Política de Privacidade

Este site é mantido e operado pela Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL).

Nós coletamos e utilizamos alguns dados pessoais que pertencem àqueles que utilizam nosso site. Ao fazê-lo, agimos na qualidade de controlador desses dados e estamos sujeitos às disposições da Lei Federal n. 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais - LGPD).

Cookies
Cookies são pequenos arquivos de texto baixados automaticamente em seu dispositivo quando você acessa e navega por um site. Eles servem, basicamente, para que seja possível identificar dispositivos, atividades e preferências de usuários, otimizando a experiência no site. Os cookies não permitem que qualquer arquivo ou informação sejam extraídos do disco rígido do usuário, não sendo possível, ainda, que, por meio deles, se tenha acesso a informações pessoais que não tenham partido do usuário ou da forma como utiliza os recursos do site.

a. Cookies de terceiros
Alguns de nossos parceiros podem configurar cookies nos dispositivos dos usuários que acessam nosso site.
Estes cookies, em geral, visam possibilitar que nossos parceiros possam oferecer seu conteúdo e seus serviços ao usuário que acessa nosso site de forma personalizada, por meio da obtenção de dados de navegação extraídos a partir de sua interação com o site.
O usuário poderá obter mais informações sobre os cookies de terceiros e sobre a forma como os dados obtidos a partir dele são tratados, além de ter acesso à descrição dos cookies utilizados e de suas características, acessando o seguinte link:
https://developers.google.com/analytics/devguides/collection/analyticsjs/cookie-usage?hl=pt-br
https://policies.google.com/privacy?hl=pt-BR
As entidades encarregadas da coleta dos cookies poderão ceder as informações obtidas a terceiros.

b. Gestão de cookies
O usuário poderá se opor ao registro de cookies pelo site, bastando que desative esta opção no seu próprio navegador. Mais informações sobre como fazer isso em alguns dos principais navegadores utilizados hoje podem ser acessadas a partir dos seguintes links:
Internet Explorer:
https://support.microsoft.com/pt-br/help/17442/windows-internet-explorer-delete-manage-cookies

Safari:
https://support.apple.com/pt-br/guide/safari/sfri11471/mac

Google Chrome:
https://support.google.com/chrome/answer/95647?hl=pt-BR&hlrm=pt

Mozila Firefox:
https://support.mozilla.org/pt-BR/kb/ative-e-desative-os-cookies-que-os-sites-usam

Opera:
https://www.opera.com/help/tutorials/security/privacy/

A desativação dos cookies, no entanto, pode afetar a disponibilidade de algumas ferramentas e funcionalidades do site, comprometendo seu correto e esperado funcionamento. Outra consequência possível é remoção das preferências do usuário que eventualmente tiverem sido salvas, prejudicando sua experiência.