Repórteres por um dia durante a oficina Espalhafatos

0
Alunos entrevistam autores do documentário “Impressão Minha”, sobre editoras independentes. Foto: Equipe SP Leituras.

Alunos entrevistam autores do documentário “Impressão Minha”, sobre editoras independentes. Foto: Equipe SP Leituras.

O que é jornalismo? O que é notícia? Quais são as regras para escrever um texto assim? Como se faz uma entrevista? Aprender algumas técnicas clássicas de redação, como a da pirâmide invertida, colocando no texto as informações por ordem de prioridade, e vivenciar experiências que fazem parte da rotina jornalística estão entre os objetivos da oficina “Espalhafatos: da ideia ao ponto final”, que aconteceu nos dias 23 e 24 de maio, na Biblioteca do Parque Villa-Lobos.

Nesta edição da atividade, um grupo de 19 alunos do SESI Vila Leopoldina, localizado na Zona Oeste de São Paulo, foi desafiado a participar de uma entrevista coletiva com os cineastas Daniel Salaroli, Gabriela Leite e João Rabello, autores do documentário “Impressão Minha”, sobre editoras independentes. A turma, na faixa de 12 a 14 anos, orientada pelo jornalista e fundador da editora Lote 42 João Varella, assistiu ao filme e pesquisou o mercado de publicações independentes antes de rascunhar uma lista de perguntas. Além disso, Varella abordou, em linhas gerais, o que é o estilo jornalístico e suas diferentes formas de se apresentar – seja ele impresso, digital ou audiovisual. O assunto se conecta com as aulas de português da escola, onde os jovens estão estudando os diferentes estilos narrativos.

Guilherme Sena, de 12 anos, estudante do 8º ano, disse: “Fiz três perguntas [na coletiva], mas fiquei muito nervoso.  No futuro, eu prefiro estar no lugar do entrevistado, como alguém famoso”. A entrevista durou uma hora e todos os alunos puderam fazer perguntas. Alguns usaram o gravador, outros anotaram o que era dito pelos cineastas. Na sequência, simulando a rotina dos jornais diários, que na maioria dos casos têm as notícias publicadas no dia seguinte, ocuparam os computadores da BVL e redigiram textos.  Mais uma vez, Varella disse: “como no jornal, aqui temos também espaço e tempo limitado. Então, comecem a escrever dando destaque ao que acharam mais interessante e importante”.

Ficou curioso para saber mais sobre o futuro dos livros impressos e o paradoxo entre o avanço digital e crescimento do mercado de editoras independentes? Então aguarde o Espalhafatos n° 48. Dos textos produzidos pelos alunos, Varella selecionará trechos e reunirá numa notícia a ser veiculada na próxima edição.

O que é o Espalhafatos?

O Espalhafatos é uma publicação do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Estado de São Paulo (SisEB). Tem como objetivo contribuir com programas de incentivo à leitura para a população das cidades do interior do Estado.

O jornal é gratuito e voltado ao público infantojuvenil que frequenta as mais de 700 bibliotecas públicas municipais espalhadas por 529 municípios do Estado de São Paulo. O conteúdo inclui listas dos livros mais retirados nas Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos, curiosidades, testes, tirinhas do escritor e ilustrador Michele Iacocca e matérias produzidas por jovens que têm curiosidade de descobrir o mundo do jornalismo.

Compartilhe

Deixe um Comentário