Em oficina online, Andréa del Fuego ensina técnicas para despertar escrita

0

Na oficina online Diante da Escrita, realizada na semana passada, no âmbito da programação da Biblioteca Parque Villa-Lobos, Andréa del Fuego usou sua experiência como escritora e cronista para despertar nos participantes a faísca da criatividade literária.

Por meio de recursos sonoros, audiovisuais e imagéticos, a autora do recente romance “As miniaturas” estimulou “gatilhos” nos seus alunos e alunas para que conseguissem trazer ao papel (ou tela) em branco ideias que não percebiam ou tinham dificuldade em externar.

Andréa explicou, logo na primeira aula, que um formato recorrente no curso seria o do microconto, no qual ela se estabeleceu como escritora em livros como “Minto Enquanto Posso” (2004), “Nego Tudo” (2005) e “Engano Seu” (2007).

“É um formato que se presta para essa dinâmica porque os erros que a gente comete em grande escala vamos cometer também em três linhas”, disse a autora, que em 2011 recebeu o Prêmio Literário José Saramago por seu romance de estreia, “Os Malaquias”. “É um ‘brinquedo’ muito bom para aprender técnicas com textos.”

Formada em grande parte por mulheres, a sala de aula virtual trazia alunos e alunas com diferentes objetivos. Uma parte estava em busca de autoconhecimento, enquanto outra procurava investir no aprendizado de uma nova disciplina em tempos de pandemia e de quarentena.

Criadora de conteúdo e ilustradora, Karina da Costa decidiu investir na oficina Diante da Escrita porque se sentia “meio perdida no meio desse isolamento”. “Era uma forma de ocupar o tempo e aprimorar os meus textos”, disse ela em sua apresentação.

Já o estudante de arquitetura Vitor, um dos poucos homens da sala virtual, disse que foi movido pela curiosidade e o autoconhecimento: “Escrita para mim é uma curiosidade, uma forma de me conhecer”, completou ele.

Compartilhe

Deixe um Comentário