Vaga-lumes “brilham” na tarde da BVL

0

A história de Peu e Pedro, dois garotos de vidas bem diferentes e que, ao tornarem-se amigos, passam a se comunicar com lanternas “feitas” com vaga-lumes, embalou a primeira tarde de setembro, aqui, na Biblioteca Parque Villa- Lobos. Curiosamente, outro Pedro – esse vindo, com a mãe, de Mogi das Cruzes (SP) –  participou da atividade, que reuniu contação de histórias e oficina de arte. Maria da Betania Galas, autora contemplada pelo ProAC (Programa de Ação Cultural), contou como esses personagens criaram um lindo laço de amizade, apesar das diferenças.

Utilizando lenços coloridos e cartazes, que reproduziam trechos do livro “Conversas de vaga-lumes”, de sua autoria, Betania desenvolveu a história, aproveitando a curiosidade dos participantes que, em roda, interagiram o tempo todo. A atividade, que promoveu a partilha da experiência de ouvir, ler e imaginar as aventuras do livro, teve como principal objetivo aproximar leitores e obras. E conseguiu! Curioso com os próximos passos dos personagens principais, Pedro (o de Mogi), em determinado momento, foi tomado pela ansiedade e investiu sobre os livros distribuídos na bancada para tentar descobrir o que vinha a seguir.

A atividade foi encerrada com a proposta para os pequenos, a exemplo do personagem principal do livro (que possui um diário ilustrado), construírem um pequeno registro da experiência da leitura do livro, desenhando ou escrevendo em um caderno oferecido pela escritora. Pedro (o de Mogi) saiu da oficina com a curiosidade aguçada, pronto para a tarefa que o trouxe para a BVL: pesquisar sobre polinizadores para uma tarefa escolar. Já Cecília, neta da escritora, não perdeu a chance de escolher várias cores para desenhar e colorir um dos cadernos e presentear a avó.

 

Compartilhe

Deixe um Comentário