/ governosp

Oficina online de cinema destaca construção de roteiro e de personagens

0
Reprodução.

Reprodução.

A criação de roteiros para cinema passa por diversas etapas e escolhas que resultam em uma espécie de guia para que a história a ser contada saia do papel para a tela. Quem compartilhou a técnica para tanto foi o jornalista e escritor Franthiesco Ballerini, que se aproxima agora da última aula da Oficina Online Roteiro para Cinema, marcada para amanhã, 9 de junho. Serão, ao final, três encontros, que, entre outros aspectos, trataram da construção de personagem, tema, conflito e detalhes da ação dramática em uma produção.

Misturando teoria e prática, Franthiesco “trabalhou” as características do herói e da fundamentação dos elementos envolvidos em uma trama, além de métodos para a concepção de ideias. A storyline e a sinopse também foram temas das explanações, além da concepção do character (aqui, ele traçou um paralelo entre os significados da palavra em inglês e em português, se referindo ao personagem e também ao seu caráter, ao conjunto de características, comportamentos, valores etc.). Veio de Franthiesco o alerta: não faça juízo de valor quando for construí-lo, mas tenha em mente, de forma bem clara e objetiva, qual o objetivo do seu protagonista, por exemplo, e seja firme em fazer com que o público compreenda isso rapidamente.

Sobre a sinopse, ele foi enfático ao reunir em questionamentos os elementos de construção. Confira: o objetivo do protagonista fica bastante claro?, qual é o clímax (causa impacto)?, quais são as ações principais do protagonista?, o que pretendemos explicar com esta história?, vale à pena?, o problema levantado será suscetível de gerar conflito? Por sua vez, o desencadeamento de itens que compõem o tal guia de uma produção cinematográfica (que difere de uma televisiva, inclusive, como salientou) rendeu uma espécie de linha do tempo, na aula, e que pode ajudar a compreender todo o processo até mesmo por quem está em casa, neste momento, lendo este texto. A saber: tema > ideia > storyline > argumento > roteiro > tratamento de roteiro > pré-produção (captação) > produção (ou seja, filmagem) > pós-produção > chegada do produto ao mercado (festivais, estreias, pay-per-view, TV paga, streaming, TV aberta).

Saiba mais sobre Franthiesco Ballerini  

O jornalista é também mestre em Comunicação Social e trabalhou durante oito anos no Grupo Estado, onde escreveu nas áreas de Cidades, Economia e Cultura e foi editor do caderno Divirta-se, edição interior.  Nos últimos cinco anos, exercia a função de repórter e crítico de cinema. Franthiesco é colaborador da Revista Cult, professor da Academia Internacional de Cinema e das Faculdades Integradas Rio Branco, e professor convidado da pós-graduação da FAAP.

Veio dele também uma série de referências compartilhadas durantes os encontros e que podem servir de guia para futuros estudos ou até mesmo para seu momento de lazer. Confira, então alguns deles: os longas-metragens Olhos que condenam, de Ava Duvernay; Os incompreendidos, de François Truffaut; Ladrões de bicicleta, de Vittorio De Sica; Beleza americana, de Sam Mendes; Lolita, de Stanley Kubrick (aliás, Franthiesco é apaixonado pelo trabalho do diretor e sugere que toda sua filmografia seja vista e revista); Fargo, de Ethan e Joel Cohen; O escafandro e a borboleta, de Julian Schnabel; As sessões, de Ben Lewin; Psicose (diferentes produções de Alfred Hitchcock e Gus Van Sant); e as séries House of cards, Breaking Bad e Game of thrones, entre outros títulos. Franthiesco também compartilhou, durante as aulas, algumas referências bibliográficas que podem ir de encontro ao interesse de quem é apaixonado por cinema: Da criação ao roteiro, de Doc Comparato; Cinema brasileiro do Século XXI e História do cinema mundial, ambos de Ballerini.

Para Clarissa, que é jornalista e está com um projeto de produção audiovisual, as referências e as dicas da oficina foram muito úteis. A participante, que vem desenvolvendo um documentário, ficou feliz em encontrar agora espaço – com tempo – na agenda para participar das aulas. Ela, que tem feito curadoria de festivais de curtas-metragens e parte de júris, acredita que as informações dos encontros ajudam a entender ainda melhor os roteiros do que vê e, portanto, contribui também com o próprio trabalho.

Perdeu esta oficina? Importante lembrar que a BVL está com atividades presenciais suspensas mas há opções variadas online e você fica por dentro delas no nosso blog e também em nossas redes sociais. Para fazer sua inscrição (as vagas são limitadas), acesse aqui.

Compartilhe

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC
Doe Máscaras