O samba e a literatura marcaram um encontro na BVL

0

Quem esteve na BVL na tarde de sábado, 8 de fevereiro, foi surpreendido pelo samba. E não poderia ter sido outro o ritmo que embalou o lançamento do livro “Vamos Falar da Portela”, com ilustrações de Julia de Paula e texto de Carlos Eduardo Tattá e Paulo Toledo. Eles estiveram por aqui para autografar exemplares, distribuídos gratuitamente no nosso deck em evento que culminou com a apresentação da Geração Portela de Paraisópolis no auditório e em cortejo pela biblioteca.

Liderado por Elda, um grupo de Caçapava, interior de São Paulo, veio especialmente para o lançamento. Foi ela a responsável por incorporar a ilustradora Julia ao projeto, que apresenta a história da agremiação para as crianças. Felizes com o deck cheio de portelenses de todos os lugares, Carlos Eduardo e Paulo não escondiam a animação, ao escreverem as dedicatórias nos livros e contarem um pouco do que foi a aventura de construir o texto de amor à Portela, depois de muita pesquisa. Esta, aliás, não é a primeira experiência com literatura de Carlos Eduardo, que escreveu, em 2014, “A Banda de Orlanda, a Panda”. Mas trata-se da estreia de Paulo, idealizador do Consulado da Portela e presidente voluntário da instituição na capital paulista.

A “família” portelense

O azul tomou conta do deck e muitos estiveram por aqui de camiseta da escola ou vestidos na cor da agremiação. Um deles era o carioca Valdir, que acompanha tudo o que se refere à Portela. Com o sobrinho Gitânio, ele contou que até já desmaiou na avenida em um dos inúmeros desfiles que fez com a escola. Também portelenses de carteirinha, Carlos Henrique e a esposa não perderiam o evento por nada. No auditório, cantaram todos os sambas que marcaram a trajetória da agremiação e já estão em uma animada contagem regressiva para o carnaval.

Geração Portela de Paraisópolis

E animação foi o que não faltou no lançamento do livro, que contou com samba de “gente grande” conduzido por crianças e adolescentes da Geração Portela de Paraisópolis. Eles se apresentaram no auditório e depois saíram em cortejo pelo térreo da BVL, agitando a tarde de um sábado que deu início à folia para muita gente. O grupo foi criado em 2018 e oferece, nos períodos de contraturno escolar, aulas gratuitas de iniciação musical para mais de 40 participantes do Centro Comunitário de Trabalho de Paraisópolis.

Perdeu a apresentação na BVL? Haverá mais samba, mas agora na Biblioteca de São Paulo, em função das comemorações de aniversário de 10 anos da biblioteca, localizada na Zona Norte da capital paulista, no domingo, dia 16 de fevereiro (#BSP10anos). Grátis!

Compartilhe

Deixe um Comentário