Livros para conhecer a Rússia

0

A Rússia definitivamente está no foco neste ano de 2018. Já que ler também é um pouco viajar, que tal conhecer o país que receberá a Copa do Mundo por meio da sua literatura?

Aqui no acervo da BVL você encontra:

 

O idiota, de Fiódor Dostoiévski

capa_o_idiotaEste livro de Dostoiévski narra o destino do príncipe Michkin – um homem destituído de qualquer maldade – que se vê atraído pela bela e contraditória Natascha Filipovna. O enredo revela o drama da condição humana, a dúvida entre o bem e o mal, o desejo e a renúncia, o altruísmo e o apego profundo de si.

 

Homens interessantes e outras histórias – Nikolai Leskov

capa_homens_interessantes_e_outras_historiasAs sete histórias reunidas nesta coletânea abarcam facetas da produção do autor – o motivo natalino (‘A fera’), a figura do justo (‘O papão’) e os contos desenvolvidos a partir de acontecimentos de sua época (‘A sentinela’) – todas enraizadas no solo russo, em suas tradições, linguagens e figuras humanas. Arrematando o volume – reunião de contos de Leskov, juntamente com ‘A fraude e outras histórias’ -, o leitor encontrará um ensaio de autoria do tradutor, que, para além do recorte biográfico e interpretativo, versa sobre as peculiaridades do estilo leskoviano e os desafios de sua tradução.


O mestre e Margarida
, Mikhail Bulgákov

capa_o_mestre_e_a_margaridaEm ‘O mestre e Margarida’, Bulgákov narra a chegada do diabo em plena Moscou comunista dos anos 1930. E satanás não está sozinho; em sua comitiva, há uma feiticeira nua, um homem de roupas apertadas e monóculo rachado e um gato preto de ‘proporções espantosas’. Tudo começa em uma tarde de primavera, quando Satanás e seu séquito diabólico decidem visitar a cidade e encontram poetas, editores, burocratas e todo tipo de pessoas tentando levar a vida em pleno regime comunista. O que todos ali não sabem é que, depois dessa visita, nada será como antes – um rastro de destruição e loucura mudará o destino de quem cruzá-lo.

 

Anna Kariênina – Liev Tolstói

capa_anna_karienina“Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.”Esta é uma das aberturas mais famosas de todos os tempos, e ainda hoje impressiona a sabedoria concisa com que Tolstói introduz o leitor no universo de Anna Kariênina, clássico escrito entre 1873 e 1877. Muito do que o romance vai mostrar está contido nesta frase. A personagem-título, ao abandonar sua sólida posição social por um novo amor, e seguir esta opção até as últimas consequências, potencializa os dilemas amorosos, vividos dentro ou fora do casamento, de toda a ampla galeria de personagens que a circunda. O amor, aqui, não é puro idealismo romântico. Tolstói recupera todo um século de experiência russa, com episódios e personagens modelados a partir de pessoas reais, e aborda as principais discussões políticas, econômicas e filosóficas de seu tempo, ainda incrivelmente atuais. O livro se articula por meio de contrates: a cidade e o campo; as cidades de Moscou e São Petersburgo; a alta sociedade e a vida dos mujiques; o intelectual e o homem prático. Com apresentação e tradução diretamente do russo por Rubens Figueiredo.

Compartilhe

Deixe um Comentário