/ governosp

capa_o_cheio_do_ralo

0

Neste livro, o protagonista, proprietário de uma loja de quinquilharias, transforma o comércio em um sistema sádico para afligir seus clientes, tão desesperados quanto ele próprio. Obcecado pelo cheiro do ralo que vem dos fundos da loja e pela bunda da garçonete do bar onde almoça todos os dias, o narrador (um sósia do 'moço que faz o comercial do Bombril') naufraga aos poucos em seus delírios. Entre a bunda e o ralo, não lhe resta saída que não seja ir para o buraco.

Compartilhe

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC
Doe Máscaras