Dicas para fazer seu próprio Luau em casa e manter a diversão em dia

0

Vamos deixar aqui dicas de como reproduzir o nosso Luau em casa. Divertido, o programa pode ser compartilhado em família (mantendo sempre a distância entre os participantes, ok?!), até mesmo utilizar as redes sociais para brincar com os amigos ou ainda convocar sua turma para praticar em grupos em ferramentas e aplicativos de conversa.

Vamos começar? A primeira ideia lançada é a de abrir espaço para todas as manifestações artísticas. Pode ser, então, que alguém se disponha a ler uma poesia, que escreva um poema e leia em voz alta para os demais, que faça uma performance de dança ou ainda que promova um pocket show ao violão ou à capela.

Mas prepare-se! Separe um tempo para ensaiar e vale tudo: até em frente do espelho e com figurino, maquiagem (se for o caso) etc. Gostou da ideia? Então vamos lá. Deixe a timidez de lado, estimule seus filhos e amigos a participar e exercite sua criatividade. Mas reforçamos: faça isso a uma distância segura dos demais componentes da sua família ou programe-se para o Luau via internet entre amigos. Primeiro, a saúde, sempre!

Ainda precisando de um ponto de partida? Separamos alguns exemplos:

“Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói,
A antiga e errônea fé,
O ontem que dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.”
Poesias Inéditas (1930-1935), de Fernando Pessoa.

 

“Há os que amaram uma vez em silêncio, sem se declararem, e trazem dentro do peito essa granada que não foi detonada. Há os que se declararam e foram rejeitados, e a granada estraçalhou tudo por dentro, mesmo que ninguém tenha notado. E há os que viveram amores ardentes, explosivos, computando vitórias e derrotas diárias: saem com talhos na alma, porém mais fortes do que antes.”
Livro Feliz por nada, de Martha Medeiros

 

Amor

“Amor, então,
também, acaba?
Não, que eu saiba.
O que eu sei
é que se transforma
numa matéria-prima
que a vida se encarrega
de transformar em raiva.
Ou em rima.”
Paulo Leminski

 

O sol nascerá
“A sorrir
Eu pretendo levar a vida
Pois chorando
Eu vi a mocidade
Perdida
Finda a tempestade
O sol nascerá
Finda esta saudade
Hei de ter outro alguém para amar
A sorrir
Eu pretendo levar a vida
Pois chorando
Eu vi a mocidade
Perdida”
Cartola

 

Dá até para arriscar uma cantoria!

Compartilhe

Deixe um Comentário