Caligrafia inspira participantes de oficina na BVL

0

Poeta, costureira, técnico em informática, dona de casa, aposentado… A oficina sobre caligrafia realizada, na manhã de 6 de dezembro, na BVL, atraiu a atenção de pessoas com interesses diversos. E surpreendeu a todos! Afinal, trata-se de uma arte que vai muito além dos convites de casamento e diplomas.

A atividade, promovida como contrapartida do programa Acessa Campus, foi comandada pelo residente Carlos Gustavo Araújo do Carmo. Carlos Gustavo, que é calígrafo desde 2015, começou a aula contextualizando essa arte e a importância da presença das letras em documentos históricos, entre outras peças. Cerimonialista e formado em Relações Públicas, o profissional tem itens de sua criação ou “reprodução” espalhados pelo mundo, incluindo países como México e Estados Unidos.

Encerrada a primeira parte da aula com a teoria, a segunda foi de “mão na massa” e os participantes puderam exercitar os primeiros movimentos com as mãos e registrar, em um caderno, as letras, devidamente organizadas e construídas a partir da orientação do profissional. Uma experiência que, para Carlos Pinheiros, que é administrador e poeta, vai render um novo salto em seus registros. As poesias e os diários que o poeta vem criando há alguns anos ganharão, a partir de agora, um novo tratamento, com um cuidado ainda maior no que fica marcado nas folhas.

Afinal, como ressalta Carlos Gustavo, a ideia é ir além da formalidade e das técnicas com a caligrafia e apresentar a execução dos traços como arte e exercícios que podem contribuir até mesmo com a cognição e transformar-se em uma redescoberta ou novo resgate da alfabetização.

Confira a galeria de imagens da atividade:

 

 

Compartilhe

Deixe um Comentário