Aula de Yoga na BVL

0

Toda quinta-feira, às 16h30, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) promove a aula de Hatha Yoga, dentro do programa Compartilhando Saberes. A atividade contempla a leitura literária e segue uma sequência lógica: a ássana, a respiração, a dharana e a meditação. No dia 8, a única coisa diferente foi a professora: Maria Beatriz Pinheiros Simões substituiu Fabiana Weykamp, voluntária na biblioteca desde março do ano passado e idealizadora do curso. Bia garante que foi só uma aula.

Ela é artista plástica de formação e professora de yoga há cinco anos. Amiga de Fabiana, as duas tiveram a mesma formação e compartilharam os ensinamentos dos mesmos mestres. Explica que mais do que uma filosofia, a hatha yoga é uma prática psicofísica que trabalha o corpo e a mente. “A ideia é trabalhar primeiro o corpo, com uma série de exercícios e posições, para no fim, com a mente aquietada, buscar um momento de equilíbrio com a meditação”, comenta.

Bia Simões conta que já veio na biblioteca em vários momentos, espaço que considera maravilhoso. Em fevereiro, deve participar do Clube de Leitura, atividade discutirá o clássico Lavoura arcaica, romance de Raduan Nassar publicado na década de 1970. Na quinta, além de dar a aula, aproveitou a visita para conhecer as novas obras de Rubens Matuck, que já foi seu professor. O artista plástico está com a exposição Exposição-Caderno: Villa-Lobos 2015/2017, Rubens Matuck em cartaz até 18 de março. Diferente de Matuck, que desenvolve um trabalho em desenho, Bia hoje busca o tecido como suporte, usando uma técnica japonesa com bambu.

A aula de Bia agradou o público. O arquiteto Sérgio Álvaro de Oliveira, 56 anos, brincou que ela já pode ser a professora titular. Ele mora perto da biblioteca e faz o curso há quase um ano. Por motivos profissionais, acompanhou a evolução do parque, desde quando era uma área de depósitos de produtos industriais, até a formação do parque e a criação da BVL. “As aulas aqui são excelentes e que nunca tinha pensado em fazer yoga antes. O convite veio da minha esposa, que começou a frequentar a atividade. A programação da BVL é ótima e essa aula muito especial”, comenta.

A administradora de empresas Silviane Passos, 40 anos, segue na mesma linha. Também faz as aulas desde o início por conta de uma indicação de uma amiga. Acredita que a yoga a ajudou a ficar mais relaxada. “É bom desopilar, tirar as preocupações e as tristezas. As pessoas aqui em São Paulo precisam de mais atividades como essa. Cursos gratuitos de yoga não têm em tantos lugares e muita gente não faz porque é caro. E é ótimo ter essa experiência na biblioteca”, comenta.

Compartilhe

Deixe um Comentário