/ governosp

Atividade com merendeiras

1

Nesta sexta-feira, 13 de novembro, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) promoveu em parceria com o Instituto Tomie Ohtake uma atividade para lá de especial com 104 merendeiras de creches da rede municipal de ensino. A proposta é levar este público conhecer equipamentos culturais da cidade, como a biblioteca, o Mercado Municipal e a Cinemateca Brasileira, entre outros. No dia, a BVL realizou uma contação de histórias com Kiara Terra, uma visita monitorada e um Viagem Gastronômica com o Grupo Desajuste.

Esta atividade integra a programação do Projeto Arte e Sabor, uma iniciativa do Instituto Tomie Ohtake em parceria com a Fundação Nestlé. O objetivo é mostrar para as merendeiras a sua importância no processo de educação das crianças, além de refletir sobre alimentação e vivenciar um pouco de arte.

A apresentação do Viagem Gastronômica teve como inspiração a obra Gabriela, cravo e canela, clássico de Jorge Amado publicado em 1958. Na atividade, as merendeiras conheceram um pouco mais sobre a autor, assistiram trechos do filme homônimo, ouviram e interagiram com a leitura da obra, e até brincaram de ‘batata-quente’, tradicional jogo de crianças.

Vale ressaltar que as artistas-educadoras Flávia Pinheiro e Lana Sultani estavam fantasiadas de ‘Gabriela’, o que serviu para dar um tom lúdico a intervenção. No final, foi servida uma porção com mandioca, cuscuz e banana frita, especialidade adorada pelo escritor baiano.

Outra proposta foi a oficina Sabores compartilhados – saberes sobre o mundo e sobre si. A ação é basicamente uma contação de histórias que relaciona a alimentação, memória e as palavras que usamos para definir comida e gostos. A facilitadora Kiara Terra disse que a ideia é explorar o paladar como modo de experimentar o mundo em que vivemos.

O resultado final agradou a todos. A merendeira Deuselina Ribeiro da Costa, que trabalha no Centro de Educação Infantil (CEI) Sol Nascente, na zona leste de São Paulo, disse que o evento foi um sucesso. “Gostei das atrizes que interpretaram a Gabriela porque nasci no Piauí e aquelas histórias têm tudo a ver com a minha história. Já a Kiara foi incrível e falou de coisas e gostos que a gente vive no dia-a-dia. Não conhecia a biblioteca e gostei tanto que fiz a carteirinha”, disse.

Compartilhe

1 Comentário

  1. Foi tudo maravilhoso. Esse projeto não só leva ao conhecimento gastronômico, mas há uma valorização das merendeiras. Cozinha, como disse a grande Morena Leite, é uma arte que tem que vir de dentro pra fora. Tem que ter amor, tem que ousar, experimentar e de tudo isso sai a arte da cozinha. Iona Santos, merendeira, muito prazer.

Deixe um Comentário

Ouvidoria Transparência SIC