Abertura da exposição de Rubens Matuck na BVL

2

Para celebrar o aniversário de três anos da Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), o equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promoveu no sábado, 16 de dezembro, às 13 horas, a abertura da Exposição-Caderno: Villa-Lobos 2015/2017, Rubens Matuck. Trata-se do novo trabalho do artista plástico Rubens Matuck, onde estão expostas reproduções fac-símile de seu caderno de viagem com anotações e desenhos de suas idas ao parque por dois anos.

No evento, também foi lançada a edição fac-símile deste trabalho, que passa a integrar o acervo da biblioteca. O desenhista, pintor e ilustrador comentou sobre questões urbanas e históricas do Parque Villa-Lobos. Falou da flora e fauna da cidade, esbanjando domínio e erudição em diversos temas: sintetizou a história da arte ocidental e oriental e explicou um pouco da complexidade dos ecossistemas brasileiros que visitou.

A exposição fica em cartaz na BVL até março de 2018.

Rubens Matuck é um artista plástico formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Desde a década de 1970 desenvolve seu trabalho com base nas técnicas de aquarela, pintura a óleo, pintura em acrílica, escultura, desenho, tipografia e gravura. Há anos realiza estes cadernos de viagens, onde documenta sua paixão pela biologia.

“Os cadernos de viagens relembram a história do livro bizantino, que começou no século II da era cristã. Até a Idade Média, existiu o códice, quer era uma espécie de pergaminho ou manuscrito que se constituía numa espécie de livro e foi importante para a transmissão da memória”. O artista também contou que no ano em que nasceu já existia a ideia de transformar o lixão, que era o Parque Villa-Lobos, em uma área de lazer. Ele acompanha esse projeto há muitas décadas e na visita guiada contou um pouco desse relacionamento com o espaço.

Na fala inicial, o diretor-executivo da SP Leituras, Pierre André Ruprecht, explicou que além do acervo atualizado em literatura, artes e humanidades, a biblioteca também aborda questões socioambientais. O gestor lembrou que a primeira exposição da BVL, em 2014, foi Caderno de Artista, também assinada por Matuck. Era uma mostra de aquarelas e desenhos sobre vários biomas brasileiros.

“Já naquela época, ele promoveu ações educativas e vinha preparando os cadernos sobre Parque Villa-Lobos. O resultado agora é apresentado ao público e a instituição fica muito feliz com o resultado da pesquisa e honrada em expor este trabalho. O Rubens Matuck é uma mente que ilumina a biblioteca”, disse o diretor da organização responsável pela da BVL.

Compartilhe